MEDICINA BASEADA EM BENEFÍCIO CLÍNICO PARA O PACIENTE!!

Medicina Baseada em Benefício Clínico para o Paciente é nossa missão mais importante! Tudo o que fizermos deve ter o paciente e seu bem estar no centro de nossas ações. Pode parecer óbvio que todas as intervenções médicas tenham este objetivo, mas não é isso que vemos na medicina atual. Observamos várias estratégias indicadas diariamente por muitos médicos que não tem nenhuma comprovação de benefício clínico por estudos científicos de boa metodologia. Ou seja, que de fato "entreguem" ao paciente o benefício prometido e cuja probabilidade de causar malefícios seja muito baixa. Isto acontece porque a formação médica  não ensina o profissional a entender o que é "benefício clínico" ou estimula o mesmo a procurar as fontes de informação confiáveis.

Medicina Baseada em Benefício Clínico para o Paciente necessita que vários aspectos sejam entendidos e atendidos para chegarmos o mais próximos da "Medicina ideal". Primeiramente, todas as intervenções médicas recomendadas devem ter embasamento científico de eficácia e segurança (vide abaixo Medicina Baseada em Evidências Científicas).

Em segundo lugar, os valores e preferências de cada indivíduo varia e deve ser levado em conta na tomada de decisão médica. Um mesmo tratamento pode ser entendido como benéfico e maléfico para pacientes muito semelhantes mas com valores diferentes.

Ainda, outros aspectos emergentes são importantes e devem ser progressivamente incorporados à prática médica. A relação custo-benefício de cada estratégia - não só financeira mas relação benefício/malefício, que chamamos de economia não financeira. A transparência - a sociedade em geral deve começar a exigir dados públicos que comprovem os resultados médicos (tanto ambulatorial quanto hospitalar), permitindo que o próprio "mercado" corrija as distorções de qualidade profissional. O desenvolvimento tecnológico deve contribuir na decisão médica - com uma quantidade enorme de conhecimento médico atual, ferramentas que complementem e ajudem o médico na adoção das melhores estratégias serão uma demanda crescente. Tudo isso permeado pelo bom senso e pela "expertise médica", que antigamente eram considerados os principais norteadores mas que não são mais importantes e nem devem substituir os demais aspectos

Medicina Baseada em Evidências Científicas é um termo que se refere à prática  na qual o profissional procura questionar se qualquer exame diagnóstico, intervenção medicamentosa ou cirúrgica propostos possuem estudos na literatura científica (com boa qualidade metodológica) que comprovem sua segurança e eficácia

Esta preocupação com a excelência no exercício da medicina em prol do maior benefício ao paciente (e menor malefício possível) surgiu com maior força nas décadas de 1980 e 1990, o que caracteriza um movimento ainda recente e infelizmente pouco difundido entre os médicos. 

• Nenhuma teoria ou opinião profissional é um guia confiável de tratamentos seguros e eficazes.
• Só porque um tratamento está “estabelecido” não significa que ele seja mais benéfico do que prejudicial.
• Mesmo que os pacientes não sofram por causa de tratamentos testados de forma inadequada, usá-los pode esgotar recursos individuais e da comunidade.

(Retirado do livro "Avaliação de tratamentos de saúde").

http://pt.testingtreatments.org/wp-content/uploads/2015/09/ATS_baixa.pdf

A Medicina Baseada em Evidências reúne: estratégias de busca com a intenção de se encontar todos os estudos científicos relevantes no assunto de interesse através de ferramentas que vasculham a extensa literatura médica existente; estratégias de avaliação destes artigos com o compromisso de respeito às melhores metodologias científicas e à transparência das informações; além de em alguns casos ainda utilizar análises econômicas comparando os benefícios e os custos, sempre visando o melhor benefício clínico ao menor custo possível.

Os tipos de estudos médicos com maior peso científico, isto é, que nos dão a informação mais confiável são (vide a ilustração abaixo): as Revisões Sistemáticas (que faz uma busca abrangente e avaliação estruturada de artigos tentando chegar a uma conclusão final comum), Meta-Análises (onde se agrupa os resultados estatísticos de uma Revisão Sistemática) e Ensaios Clínicos Randomizados (nos quais testamos um medicamento ou uma estratégia médica nova, comparando-os ao padrão vigente em 2 ou mais grupos de pacientes, sorteando-se aleatoriamente quem pertencerá a cada grupo). Notadamente a opinião de especialistas (profissionais médicos) corresponde ao nível de menor confiabilidade em relação a uma informação médica.